Novidades

Pratos: As telas do cozinheiro

Beleza não põe mesa? Que me desculpe o provérbio, mas a beleza não só põe a mesa como deixa tudo mais saboroso. É claro que estou falando de comida! Afinal, que a gente come primeiro com os olhos não é novidade para ninguém, não é mesmo?

 “A beleza é o acordo entre o conteúdo e a forma”, disse o dramaturgo norueguês Henrik Ibsen. Na cozinha acho que podemos adaptar para: “A beleza é o acordo entre o sabor e a forma”.

A gastronomia é uma arte e uma das que aguça mais sentidos do nosso corpo.

 

Na gastronomia, a apresentação de um prato é tão importante quanto o seu sabor. Afinal de contas a forma como o prato é montado pode influenciar diretamente nos sabores dos ingredientes. Proporção, textura e cores fazem partes de um cardápio de alto nível. Por outro lado imagine chegar um prato maravilhoso em sua mesa e quando você vai provar ele não está saboroso, é uma grande decepção com certeza.

O prato conta história, deixa transparecer a alma do cozinheiro. É claro que quando somos chefs profissionais os anos de experiências e estudos nos dão uma característica singular, nos dão uma identidade que passa ser a nossa assinatura, que é única!

Mas se você gosta de cozinhar e não é profissional não se preocupe, vou citar algumas dicas básicas que podem garantir uma boa apresentação na hora da montagem de um prato para você que quer surpreender com um jantar bacana!

Primeira e mais importante: o preparo dos ingredientes.

Os ingredientes têm formas, texturas e cores que vão influenciar diretamente na estética do prato, saber prepara-los de forma que valorizem sua estética é fundamental. Você pode ressaltar as formas naturais dos produtos ou usar técnicas para brincar com suas proporções e criar sua própria versão, que é válido. Um tomate pode ficar lindo tanto cru quando assado no forno, tudo vai depender da proposta que você quer passar, tanto na estética quanto no sabor.

 

Segunda: a ordem dos ingredientes.

É preciso entender que quando montamos um prato a ordem em que colocamos os ingredientes é muito importante para manter suas texturas as mais agradáveis possíveis. Por exemplo: não podemos colocar um crispy primeiro no prato e por cima colocarmos um filé mignon. A humidade do filé vai murchar o crispy e a proposta da crocância se perde por completo.

 

Terceira: proporção.

Não é nada elegante uma quantidade exagerada de comida no prato e principalmente uma quantidade muito grande de um produto e pouca de outro, precisa haver uma harmonia entre os elementos. Os sabores precisam casar também na quantidade em que entram no prato.

 

Quarta: a escolha do prato.

O prato é a moldura da comida, ela vai ajudar a ditar o estilo de gastronomia que você faz e vai ajudar contar uma história, é claro que não podemos esquecer sua funcionalidade, quer exemplo mais básico do que servir sopa em prato raso? Impossível! Ah e não se esqueça, as bordas precisam ficar livres para os pratos serem transportados até a mesa, ou aonde forem degustados.

 

Essas são dicas básicas, mas que dão uma direção para uma boa montagem dos pratos.

Não se esqueça de que cozinhar é uma arte e ter personalidade é fundamental. Pratique, treine, invente e seja você mesmo!

Matéria escrita por: Sandra Romansini